Portal de Conferências da UFRJ, XII Congresso de Extensão da UFRJ

Tamanho da fonte: 
Levantamento Etnobotânico de Plantas Medicinais Utilizadas no Distrito de Xerém, Duque de Caxias e montagem de uma horta medicinal didática na Escola Monteiro Lobato.
Luisa Andrea Ketzer, Maria de Fátima Santos de Souza, Raquel Barboza Padilha, Jenifer Frouche, Juliana Ferreira, Fernanda Reinert, Bianca Ortiz

Última alteração: 2015-11-05

Resumo


A etnobotânica é a ciência que estuda as relações entre a população local e seu conhecimento botânico, bem como a utilização das plantas sendo fundamentais para a ampliação do conhecimento dos benefícios e/ ou malefícios oferecidos pela sua utilização. Dentro da etnobotânica, temos o estudo etnofarmacológico que pode ser definido como a ciência que estuda a utilização de plantas medicinais por uma determinada população. O conhecimento popular é de grande importância aos cientistas, pois a partir dos dados coletados pode-se nortear a elaboração de novos fármacos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 80% da população mundial utiliza algum tipo de medicina tradicional para necessidades básicas de saúde. Além disso, a OMS determina que países membros utilizem medidas de tratamentos eficazes para atendimento de cuidados básicos de saúde, no qual inclui o uso da fitoterapia para auxiliar no tratamento da população em países em desenvolvimento. O projeto tem duas linhas principais: i) realizar o levantamento etnobotânico e etnofarmacológico de plantas medicinais utilizadas no Distrito de Xerém, situado na cidade de Duque de Caxias, RJ; ii) montar uma horta medicinal a partir dos dados obtidos na primeira etapa do projeto. O levantamento permitirá apontar problemas de sinonímias botânicas, realizar a identificação botânica das espécies utilizadas, oferecer oficinas à comunidade para a difusão do conhecimento tradicional e capacitar a comunidade para consumo adequado de plantas medicinais. A montagem da horta visa mostrar aos alunos a importância das plantas medicinais e torná-los aptos a distinguir algumas dessas espécies através da abordagem de conteúdos teóricos e práticos. O estudo está sendo conduzido com moradores voluntários da comunidade por meio de entrevistas assistidas.  Haverá também a coleta de material botânico, que será devidamente identificado em laboratório. A metodologia da segunda linha do projeto conta com atividades como palestras, oficinas e jogos que irão abordar diferentes temas relacionados à identificação e uso de plantas medicinais. O estabelecimento de uma horta na Escola Estadual Monteiro Lobato será feito juntamente com os alunos. Os alunos vão elaborar um jogo interativo sobre os exemplos abordados utilizando cartas com figuras e nomes das plantas para que consigam correlacionar o nome à figura. Análises preliminares dos relatórios indicaram 61 espécies vegetais utilizadas pela população. Dentre as pessoas entrevistadas 78% acredita que o princípio ativo está nas folhas possuem, e a maioria dos indivíduos pesquisados coletam as plantas em seus quintais.